Ronin – Abril

Título: Ronin
Editora: Abril
Volume Único
Data: 1988
Roteiro/Desenho: Frank Miller
Gênero: Cyberpunk
Número de páginas: 324
Origem: Estados Unidos

Japão feudal… Uma sociedade moldada por tradições e costumes muitos severos. Uma terra com cultura própria, onde a honra significava tudo. Naqueles dias, quando os poderosos xoguns governavam o Império do Sol com mãos de ferro, um jovem samurai tornou-se Ronin e, em sua sede de vingança, foi aprisionado numa espada mágica junto com o demônio Agat. Anos se perderam. Séculos se arrastaram…

Estados Unidos…uma das potências remanescentes da grande depressão econômica. No amanhecer da humanidade, os biocircuitos insuflam as velas do mundo e a honra cede lugar ao sopro tecnológico. Sob o controle do computador VIRGO, o Complexo Aquarius é o palco para a trama milenar entre Agat e Ronin.

Quando Frank Miller decidiu desenhar Ronin, ele devia estar visando um futuro filme. Cada cena é desenhada de tal forma que é possível sentir o movimento. É possível ver a ação diante de seus olhos. O quadrinho com poucas onomatopeias sugere um clima tenso e triste a maior parte da história. Quem quiser filmar esta HQ é só pegá-la e reproduzir cada página fielmente.

O traço de Frank Miller é bem peculiar. Particularmente não gosto. Porém, seu traço dá o tom de sua história, e a história é feita sob medida para seu traço. A colorização de Lynn Varley é essencial para que se compreenda em qual época se passa a história, ou mesmo mesclando dois tempos diferentes em um só.

O início da história é intercalado com momentos no Japão, e outros nos Estados Unidos. O clímax na aventura do Japão é o suficiente para desencadear mudanças aterradoras nos EUA. A forma como Miller mescla os devaneios da personagem principal, com eventos do presente é muito interessante.

A história não é nenhum primor. Porém, destaca-se por sua narrativa diferente da época. Se considerarmos como uma obra que não seja ficção-científica, vemos a ganância das grandes corporações em subjugar os desfavorecidos para obter os melhores resultados para suas companhias.

Lançado em julho de 1983 pela DC Comics, como uma minissérie em 6 partes, foi considerado um projeto de graphic novel de ponta pela editora. Miller foi inspirado em parte pelo mangá Lobo Solitário de Kazuo Koike e Goseki Kojima. São visíveis em sua obra elementos orientais, e da influência da cultura japonesa.

No Brasil, Ronin foi lançado pela primeira vez em 6 edições pela Abril, em 1988. No mesmo ano, ganhou um encadernado “de luxo” (para a época). Viria a ser lançado novamente em 3 edições pela Opera Graphica em 2003, e dois anos depois ganhou outro encadernado pela mesma editora.

Vale a pena ler? Em uma época pré-Watchmen, pré-Cavaleiro das Trevas, esta HQ sem dúvida é um tira gosto de tudo que viria a seguir. Histórias sombrias, em que o objetivo não é exaltar o heroísmo das personagens e a má índole dos vilões, mas sim expor o lado podre de cada um deles. Ronin – HQ recomendadíssima!

Música-tema: Paul Engemann – Push It To The Limit. Apesar de ser tema do filme Scarface, acredito que esta música representa todo o climão que era a década de 1980.

Galeria de capas americanas:

#1 – julho/1983

Fonte: Dc Wiki

Fonte: Dc Wiki

#2 – setembro/1983

Fonte: Dc Wiki

Fonte: Dc Wiki

#3 – novembro/1983

Fonte: Dc Wiki

Fonte: Dc Wiki

#4 – janeiro/1984

Fonte: Dc Wiki

Fonte: Dc Wiki

#5 – março/1984

Fonte: Dc Wiki

Fonte: Dc Wiki

#6 – maio/1984

Fonte: Dc Wiki

Fonte: Dc Wiki

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s